Uma vitória(parcial) para sites noticiosos

O projeto de reforma das regras eleitorais está em apreciação no Congresso Nacional. O projeto partiu da Câmara para o Senado e foi aprovado hoje por duas comissões e na terça-feira deve ir a Plenário. Mas os senadores inseriram alterações nas emendas e, por isso, a discussão ainda volta para os deputados.

A alteração feita pelos senadores é positiva para sites de veículos de comunicação que trabalham com a notícia como serviço prioritário. Os senadores autorizaram a veiculação de propaganda paga nesses sites “destinados à veiculação de notícias na internet” , mas somente a candidatos à presidência da República, limitada a 24 inserções.

O espaço total da propaganda não poderia exceder a um oitavo do espaço total do conteúdo e não poderia ser destinada exclusivamente a um único partido ou candidato. Fica proibida a veiculação, no entanto, ainda que gratuitamente, de propaganda em sites de pessoas jurídicas cuja principal atividade não seja serviços noticiosos.

A Câmara havia autorizado apenas a propaganda gratuita nos sites. O Senado avança um pequeno passo. O número de inserções pagas na imprensa escrita e a respectiva reprodução na internet foi alterado de 12, como constava no primeiro parecer, para 24, para permitir maior participação dos candidatos.

Já a obrigação de veicular propaganda eleitoral estende-se a todas as concessionárias, permissionárias e autorizadas dos serviços de radiodifusão sonora e de sons e imagens, com exceção das TVs por assinatura.

Doação

As doações em sites de web para campanha não sofreram modificações. As doações de recursos financeiros poderão ser feitas por autorização de débito na conta de telefone, por cartão de crédito ou de débito, boleto ou transferência bancária e outros meios eletrônicos de pagamento que deverão conter a identificação do doador e a emissão obrigatória de recibo eleitoral para cada doação realizada.

Debates

Aloizio Mercadante (PT-SP) sugeriu que, em programas de entrevistas, sejam convidados obrigatoriamente todos os candidatos a cargos majoritários filiados a partidos que tenham pelo menos 10 representantes no Congresso ou 15 em coligações. A proposta, incluída no parecer, foi apoiada por Pedro Simon (PMDB-RS) e Antônio Carlos Junior (DEM-BA).

Vanusa e professora: vítimas da web?

O pesadelo de George Orwell´s que descreveu em livro o Big Brother (no caso, o Estado) que a todos vigiaria em 1984 (trocadilho para 1948 quando foi escrito) é hoje motivo de insônia para muitas pessoas superexpostas na rede mundial de computadores.  Levou um pouco mais do que Orwell havia imaginado, mas as câmeras, computadores e vizinhos que gravam todos os nossos passos são uma realidade.

Desde 2005 quando entrou no ar, o YouTube-Broadcast Yourself é um fenômeno de público e crítica. Só que em vez de as pessoas transmitirem imagens delas mesmas, como o slogan dita, elas filmam outros e postam com perfis anônimos.

Nos últimos dias, pelo menos dois assuntos polêmicos estiveram no centro da atenção do público desse site. A cantora Vanusa errando o hino nacional ainda hoje está entre os mais vistos e os mais populares. Na semana passada, uma professora baiana dançou “Toda enfiada”, foi filmada, postada e demitida.

A cantora Vanusa se apresentou na Assembleia Legislativa de São Paulo em março. Mas há uma semana caiu na rede um vídeo dela desafinando o hino nacional. Nas imagens ela aparece lendo a letra do hino e errando feio. Virou um fenômeno, ganhou uma visibilidade que não tinha desde a Jovem Guarda.  Nem quando seu filho ganhou o reality show Casa dos Artistas ela conseguiu tantos holofotes. Nesta semana deu entrevistas para programas como o da Silvia Popovic e virou matéria em muitos jornais.

O vídeo da professora que dançou o pagode “Todo enfiado” em festa na Bahia e foi demitida eu não irei embedar aqui. Mas quem quiser encontra ele no YouTube. A professora está tentando tirar as imagens do site, mas de cada um retirado, mais dois  são postados… O fato é que a vida da professora virou de pernas para o ar. A fama assolou a vida da professora primária da balada de sábado à noite para a manhã de segunda-feira. Além de demitida, ela teve que se mudar de endereço com a filha de sete anos. O vídeo já foi assistido por mais de 100 mil pessoas e ganhou as páginas das revistas eletrônicas.

A visibilidade em excesso pode ser bom para esquecidos ganharem holofotes, seguindo a máxima “falem mal, mas falem de mim”. Mas pode ser prejudicial para anônimos, que não tinham nenhuma pretensão que não viver a vida e foram flagrados pelas implacáveis lentes da tecnologia moderna.

A sorte da professora é que não só a previsão de Orwell se confirmou, a previsão de Andy Warhol também. O ícone da arte pop norte-americana teve uma frase célebre “In the future everyone will be famous for fifteen minutes”. Imagino que a professora torça para que esses longos quinze minutos passem logo para ela retomar a rotina. Já para Vanusa, se o bafo render a venda de uns cds a mais ou novos convites para eventos, tá no lucro. Até a próxima câmera captar outros 15 minutos….

Posts sobre o assunto:
Blog da Vanessa: Já criaram até um vanusator